SEJA BEM VINDO

O Portal Buriti agradece sua visita. Volte Sempre.

terça-feira, 1 de março de 2016

REGIÃO - POLÍCIA DO PIAUI APRESENTA EM COLETIVA EM TERESINA, OS SEIS PRESOS EM MIGUEL ALVES-PI, SUSPEITOS DE PARTICIPAÇÃO DO ASSASSINATO DOS DOIS PRESOS SEQUESTRADOS DA DPC DE BURITI DIA 14 DE FEVEREIRO


Os seis suspeitos do sequestro e morte de dois presos da DPC de Buriti, que foram encontrados em Miguel Alves, foram apresentados em coletiva na Delegacia Geral da Polícia Civil em Teresina nesta terça-feira(01). As vítimas eram suspeitas de matar o
empresário Kaleu Torres e teriam sido assassinadas supostamente por familiares do empresário.
Foram cumpridos mandados de prisão contra: a professora Claudiane Lopes do Nascimento Pereira; o instrutor de academia José Iranilton Silva; sua esposa, a professora Sandra Vaz da Silva; o lavrador Eder Jerônimo Vaz, que eram amigos de infância de Kaleu; e também o irmão de Kaleu, o granjeiro Vítor Pontes Fortes Torres e seu padrasto, o autônomo Marcones Plínio Araújo.
Sem títuloA viúva do empresário, Fernanda Costa Pereira, também foi presa, mas por decreto da Justiça do maranhão, por isso ela já está sendo recambiada para o presídio de Pedrinhas em São Luís-MA.
wwwwww“Ela tem uma motivação, já que era o marido dela, e tem um elo. O veículo do empresário é que foi utilizado no sequestro dos dois suspeitos da morte dele. Ela é que tinha a posse desse veículo e teria cedido ao cunhado, irmão de Kaleu”, declarou o gerente de policiamento do interior do Piauí, Willame Moares.
Vítor, Eder e Claudiane e uma quarta pessoa do sexo masculino ainda não identificada seriam os autores do “arrebatamento”. Imagens das câmeras de segurança de estabelecimentos da cidade de Buriti registraram a presença de dois veículos encontrados com os suspeitos.
wwwJosemar Rocha, delegado regional de Buriti, destacou que para ter acesso à cidade, é preciso atravessar um trecho de água por meio de uma balsa. Nela, ficaram registradas as presenças da caminhonete e das motos usadas pelos criminosos.
Na delegacia, Claudiana teria simulado a intenção de registrar um boletim de ocorrência. Nesse momento, Vítor, Eder e um outro homem renderam o carcereiro da delegacia e levaram os suspeitos do homicídio do empresário.
ssssssf“Vamos investigar todos os crimes praticados por eles na delegacia. Eles vão responder pelo roubo, já que levaram celulares e algemas da delegacia, sequestraram os presos e ainda vão responder por associação criminosa, já que mais de três pessoas estão envolvidas no caso”, informou.
O homicídio qualificado, praticado no Piauí, ficará a cargo da polícia piauiense.
Os presos
De acordo com José Iranilton, ninguém foi informado dos motivos das prisões. “Eu nem sei porque estou aqui. A minha mulher [Sandra] também não foi informada de nada. Ninguém sabe de coisa nenhuma”, declarou ao Cidadeverde.com.
Somente Sandra, dentre os presos, demonstra nervosismo com a prisão. Ela permanece a maior parte do tempo de cabeça baixa e já chorou bastante.
jjkkkO advogado Nazareno Thé, já conversou com seu cliente, Eder Jerônimo, e falou ao portal que ainda vai se inteirar do caso. “Eu acabei de chegar à Delegacia e sequer sei quais as acusações. Vou começar agora a acompanhar”, disse o advogado.
Entenda o caso
As vítimas foram identificadas como Sabino Neto Cardoso dos Santos e Leonardo Vieira Silva, conhecido como “Cafuringa”, que estavam presos na delegacia, e foram sequestrados da delegacia por um casal que fingiu querer registrar um boletim de ocorrência. Eles foram encontrados mortos em uma lagoa no município de Miguel Alves.
A polícia investiga se foi crime de vingança, feita pela família, que estaria supostamente fazendo justiça com as próprias mãos.
O laudo da morte dos presos constatou que foi um dos mais bárbaros assassinatos da história do Piauí. Eles foram torturados ainda vivos, com os olhos furados, tiveram orelhas, pés, mãos  e braços decepados e até as vísceras retiradas antes de morrerem.
O crime foi desvendado numa operação conjunta entre o Piauí e Maranhão.
Extraído do Portal Coelho Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário