SEJA BEM VINDO

O Portal Buriti agradece sua visita. Volte Sempre.

terça-feira, 5 de junho de 2012

FUTEBOL - CONFIRA CHARGES DIVERTIDAS SOBRE VÁRIOS TIMES DO BRASIL E DO MUNDO

Galinho Gaúcho

por Mario Alberto



 Clique abaixo e confira dezenas de charges divertidíssímas de times de futebol!!!


Bonito ou feio?




Essa doeu!





HULK ESMAGA!



 Nem a assistência técnica dá jeito…



Sonhando


Acabou





Cala-boca





Garfado





Fim de férias





Enquanto isso, no botequim do seu Manoel…





O dinheiro na privada



O desenho acima ilustrou a coluna do Janca no Lance de hoje. O texto dele está abaixo e vale muito a leitura.
—————————————————————————————————
O DINHEIRO NA PRIVADA – texto escrito por João Carlos Assumpção
Não canso de bater na tecla, mas ainda acho que vale insistir e bater e bater e bater. Na tecla. Enquanto o povo brasileiro vê o legado da Copa ficar cada vez menor, o gasto com o evento não para de crescer.
Outro dia assisti a discurso da senadora Ana Amélia (PP-RS), em que reclamava que o “investimento” público em estádios para o Mundial era estimado em 2,1 bilhões de reais quando o Brasil se tornou sede em 2007. E não é que, segundo a senadora e jornalista, que tive a oportunidade de conhecer em 1997, durante cobertura de visita de Fernando Henrique à ONU, o valor já chegou à casa de 6,9 bilhões de reais? Ou seja, mais do que triplicou. Descaso total com o dinheiro do contribuinte. E as coisas vão ficando por isso mesmo como se devessem ser assim. Como se não houvesse um outro caminho, quando há. E um deles é punir os responsáveis por tamanha irresponsabilidade com a verba pública. Entre eles os dirigentes esportivos que se perpetuam no poder. Em entidades que chamam de privadas, mas que de privadas não têm nada. Ou talvez tenham tudo. Afinal os gastos são públicos, mas os benefícios, pelo jeito, não.
A própria intervenção do governo no Comitê Organizador Local da Copa-2014, enfraquecendo os cartolas brasileiros, tirando a independência do COL e repetindo o que já acontecera na África do Sul, em 2010, mostra o descaso como o evento vinha sendo tratado. Sem comando. Não que agora, nas mãos de Aldo Rebelo, indicado para o Esporte porque a pasta foi terceirizada para seu partido, o PCdoB, a fim de contentar a base aliada de Dilma, a coisa vá melhorar. Porque a irresponsabilidade é dos cartolas, mas também dos políticos que vivem de mãos dadas.
E enquanto todos falam da Copa parece que se esquecem que dois anos depois teremos os Jogos Olímpicos no Rio. E que o comitê organizador está nas mãos de quem “organizou” o Pan de 2007, aquele que deixou um legado sofrível para os cariocas e o Brasil e em vez de gastar os prometidos 400 e tantos milhões de reais acabou fechando as contas na casa de 3,7 bilhões de reais.
Se a história fosse diferente poderíamos ter muitos ganhos com os Jogos, como Londres está tendo com os de 2012. Toda uma região degradada da cidade acabou sendo revitalizada. Há melhoras no transporte público e nos setores de turismo, hotelaria e segurança. Não por acaso o projeto e a organização da Olimpíada londrina foram temas centrais das eleições locais, que deram vitória ao prefeito Boris Johnson, reeleito para mais quatro anos. E isso em tempos de massacrantes derrotas para o Partido Conservador, criticado pela condução da economia e a ameaça de recessão, sem falar no escândalo das escutas clandestinas do magnata Rupert Murdoch, que envolvem membros do governo do premiê David Cameron. E entre os conservadores Johnson já surge como alternativa de poder ao próprio Cameron. Enquanto isso nos trópicos…
Três Toques
Estranhos no ninho
Tanto na Fifa quanto na Conmebol José Maria Marin e seu mentor, Marco Polo Del Nero, já são considerados figuras sem expressão na política esportiva do Brasil e foram descartados pela entidade para assuntos da Copa-2014. Conversa agora só com o governo. A aposta inicial em Marin, um político das antigas, naufragou. Hoje é visto como tendo pouco trânsito em Brasília e mero “fazedor de média”.
Línguas diferentes
O clima entre Jérôme Valcke e a delegação brasileira que foi visitá-lo em Zurique segue pesado. E constrangedor. Apesar das embaixadinhas de Ronaldo e Bebeto, o secretário-geral da Fifa acha que os dois entendem muito pouco de organização da Copa e não podem ser interlocutores da entidade. Já o comercial na TV de Pelé e Ronaldo sobre a preparação do Brasil para o Mundial… Sem comentários.
Presidentes vitalícios
Como Nicolás Leoz, “presidente eterno” da Conmebol, de onde só sai morto ou quando quiser, Carlos Arthur Nuzman não solta o osso. Segue firme para se perpetuar na presidência mesmo longe de cumprir a promessa de fazer do Brasil uma potência olímpica e tendo metido os pés pelas mãos no Pan de 2007. Continua encabeçando o COB e o comitê que organiza os Jogos do Rio e desprezando outras lideranças.”
—————————————————————————————————

Tricampeão





Campeão tricolor





Agora vai





Sem trauma


Cachorro sem dono





Quem pesca quem?





Tensão na hora H





Reforço alvinegro… E que reforço!





Campeão!





Los matadores


Sonho despedaçado





Extra! Extra! OVNI cai em Barcelona!


Férias forçadas


No embalo da Libertadores





Eles querem é poder!





Morrendo de preocupação


Um elefante incomoda muita gente


Título incontestável


Nenhum comentário:

Postar um comentário